Lava Jato: um belo negócio

        TEM ficado cada vez mais claro que a operação Lava Jato foi e continua sendo um desastre – inclusive econômico. Do ponto de vista institucional então… nem se fala. Os danos foram tão profundos que talvez nem sejam mensuráveis… Não dá pra saber o tamanho do estrago causado pela Lava Jato.

         Começa que essa operação simplesmente destruiu o nosso sistema de liberdades e garantias fundamentais, rasgando várias vezes a Constituição e a lei para perseguir os líderes de uma determinada agremiação política (o PT) – ou a Lava Jato pôs na cadeia algum peixe-grande dos outros partidos?

    Não bastasse o desmonte escancarado da Constituição, a Lava Jato foi escandalosamente utilizada para desestabilizar o governo de Dilma Rousseff e, com isso, consolidar o golpe de Estado no país que arrasou com a nossa democracia e com a instituição da soberania popular – ou não jogaram no lixo o voto de 54 milhões de brasileiros?

      Por isso, por causa desses estragos, de vez em quando a mídia golpista, que instrumentalizou a Lava Jato para atingir seus objetivos políticos, se vê obrigada a publicar matérias requentadas para relembrar que a operação ainda existe – mesmo depois da prisão de Lula -, e que ela tem dado bons frutos, bons resultados para o país.

          Hoje mesmo um grande jornal de São Paulo, a Folha, traz uma matéria de capa dizendo que a Lava Jato já recuperou para a Petrobras 13 bilhões de reais – o equivalente a quase um terço dos valores desviados da empresa. Esclarece ainda que o montante do rombo chegaria a 42 bilhões; mas isso, segundo estimativas da Polícia Federal – não é nada “na ponta do lápis”: são estimativas… e da polícia.

        Creio que aqueles que andaram (e muitos ainda andam) iludidos com a Lava Jato, acreditando que essa operação iria mesmo acabar com a corrupção política e “passar o país a limpo”, estão impressionados com esses números. E não é pra menos: afinal, 13 bilhões não é qualquer “dinheirinho de pinga”; não é dinheiro pra se jogar fora… ainda mais quando se trata de dinheiro público.

      Nessa mesma linha, enaltecendo mais uma proeza da operação, há pouco tempo os procuradores de Curitiba apareceram nos jornais (inclusive na Folha de S. Paulo), simulando a entrega de um cheque (fictício) de 654 milhões de reais que, segundo eles, teriam sido recuperados pela justiça curitibana.

       Os lavajatistas devem ter orgasmo quando leem, ou quando veem, essas notícias requentadas nos jornais e nas tevês!

           Pois bem… Sem contar os prejuízos institucionais (que às vezes podem gerar alguma controvérsia, alguma dúvida, algum debate!), fiquemos apenas no campo das ciências exatas, no campo dos números – que não comportam discussão nenhuma: pois números são números, e pronto.

         Vamos lá: a mesma mídia que vira e mexe apregoa as “vantagens” econômicas da Lava Jato nunca se lembra de informar a seus leitores que essa operação, no ano de 2015, teve um impacto tão negativo na nossa economia que, num único ano, fez o PIB cair 2,5%. Resultado: prejuízo de R$ 142,6 bilhões de reais para a economia brasileira.

          E sabe quem é que noticiou esse prejuízo causado pela Lava Jato? Não foi ninguém do PT, não: foi a própria Rede Globo, meio escondidinho, através de um de seus portais, com base num levantamento feito por uma empresa privada de consultoria que não tem nenhuma simpatia pelo PT.

          Fez as contas? A Lava Jato recuperou R$ 13,6 bilhões de reais para os cofres da Petrobras, mas deu um prejuízo para o país de R$ 142,6 bi. Isso mesmo: o prejuízo econômico causado por essa operação, em apenas um ano, foi dez vezes maior do que aquilo que ela, segundo ela, conseguiu recuperar em quatro anos. Que belo negócio, não?

        Mas, há quem diga que a Lava Jato foi, sim, um “belo” negócio: arrebentar com a democracia; arrebentar com a economia; arrebentar com as empresas nacionais e ainda por cima entregar aos gringos as nossas riquezas (naturais, energéticas e tecnológicas) deve ter sido mesmo um belo negócio – resta saber pra quem… Para os brasileiros é que não foi; isso eu garanto… os números também garantem.

__________

http://www.avessoedireito.com

Esse post foi publicado em Avesso e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para Lava Jato: um belo negócio

  1. Arthur Jacon disse:

    Oi, Professor,

    Não concordo com a lógica utilitarista defendida na postagem. Também considero simplista tributar o recuo do PIB à Lava Jato.

    Abs,

    Arthur

    • Caro Arthur,

      Desculpe, mas não se trata de “lógica utilitarista”: é apenas o comentário sobre um dos aspectos, uma consequência econômica dessa investigação enviesada que foi a Lava Jato. Não se pretende explicar os méritos ou deméritos da Lava Jato sob o ponto de vista exclusivo do recuo do PIB – esse é só mais um aspecto. O Post deixou claro que os outros impactos negativos (institucionais) da investigação não seriam tratados ali – era só a questão econômica; e a propósito de uma notícia veiculada pela mídia sobre os “méritos econômicos” da operação. Só isso.
      Muito agradecido, espero continuar contando com suas intervenções.
      Antônio Alberto Machado

  2. Arthur disse:

    Certo, Professor, mas ainda considero que essas repercussões econômicas (“impacto negativo”) são muito menos graves que os danos de ordem institucional que a operação eventualmente gerou. Agora, se a investigação tivesse respeitado a Constituição e, dessa forma, agregado provas da culpa dos acusados, aos danos à economia seriam um preço aceitável a ser pago como consequência da punição das pessoas envolvidas em atos criminosos.

    Abs,

    Arthur

    • Ok, Arthur.
      Permita-me acrescentar também que o preço seria “aceitável” se a investigação não tivesse sido tão seletiva; se não tivesse poupado tanto outros partidos e outros políticos; se não tivesse interferido tanto na política, a ponto de precipitar a queda de um presidente da república; se não tivesse ferido de morte o princípio do devido processo legal; se não tivesse feito tanta parceria com a mídia empresarial golpista; se não tivesse ajudado a semear tanto ódio; e, por fim, se ela fosse acabar mesmo com a corrupção.

      Agradeço muito suas intervenções, sempre estimulantes.

      Antônio Alberto Machado

  3. Arthur Jacon disse:

    Sim, claro. O pressuposto básico de uma investigação válida é a isenção.

    Eu que agradeço, Professor, pelo privilégio de dialogar com você.

    Abs,

    Arthur Jacon

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s