Desse jeito não dá

         E ESSA agora dos promotores de justiça de São Paulo dizendo, por escrito e nos autos, que houve um “conluio”, ou “acordo de cavalheiros”, entre o juiz Sérgio Moro e uma juíza paulista para que o processo do apartamento do Guarujá, movido contra o Lula, fosse remetido à vara federal de Curitiba? E mais: os membros do Ministério Público de São Paulo disseram que essa acusação, sobre o triplex do Guarujá, está sendo feita pelo Ministério Público Federal de Curitiba com base apenas em “achismo”, ou seja, sem fundamento nenhum, quer dizer, sem a indispensável justa causa.

          E tem mais ainda: os promotores de justiça de São Paulo asseguram que o caso do triplex do Guarujá nada tem a ver com a Petrobras. Portanto, não seria da competência do juiz Sérgio Moro processar o Lula nesse caso, pois esse juiz do Paraná teria competência (se é que a tem mesmo) apenas para processar os casos envolvendo a petroleira nacional. São graves as afirmações dos promotores paulistas. Eles lançam sérias dúvidas sobre a competência do juiz Moro, sobre a imparcialidade dele, sobre sua possível suspeição e sobre a denúncia formulada pelo MPF contra o Lula, que seria uma denúncia feita com base apenas em “achismo”.

            Durma-se com um barulho desses!

       Antes de tudo, merece destacar que os promotores de São Paulo não podem ser considerados suspeitos de proteger o Lula: eles denunciaram o ex-presidente em março deste ano e até pediram sua prisão preventiva. O que se vê, na verdade, é que está todo mundo querendo processar o Lula: os promotores paulistas querem denunciá-lo e prendê-lo aqui, em São Paulo; e o juiz da Lava Jato quer processá-lo e prendê-lo lá, em Curitiba. Verdadeira “caçada” ao ex-presidente. Parece que tá todo mundo querendo entrar pra história!, nem que seja pela porta dos fundos.

             Quem seriam o promotor e o juiz natural para processar o Lula: os de São Paulo ou os paranaenses? Ninguém sabe. Pobre do Lula! Não respeitam sua privacidade. Não respeitam suas garantias constitucionais. Não respeitam seu juiz natural. Não respeitam seu direito de defesa. Não respeitam nada. Estão passando por cima do devido processo legal como um trator nesse caso do Lula.

            E isso pode custar caro, não só ao Lula, mas aos brasileiros em geral. Porque, se não se respeita o devido processo legal e as salvaguardas constitucionais em relação a um brasileiro, então pode-se desrespeitá-los também em relação a todos. Inclusive em relação àqueles que andam se refestelando com a desgraça do Lula e com as “canetadas” do juiz Sérgio Moro – esses deveriam se lembrar que, no início, os judeus também apoiaram o nazismo!

        Desse jeito não dá! Justiça penal sem juiz natural, sem juiz imparcial, sem juiz insuspeito, sem direito de defesa, sem salvaguardas constitucionais, sem presunção de inocência, atuando na base do “conluio” e do “achismo”, vamos e venhamos, não é justiça nem aqui nem na China – nem na Cochinchina.

          Pode escrever aí: nesse confronto entre os promotores de justiça de São Paulo e o Ministério Público Federal de Curitiba, para ver quem é que processa o Lula, vai prevalecer a atribuição dos paranaenses. Não tem ninguém com coragem de mexer na competência do juiz Sérgio Moro! Ele foi escolhido para processar, condenar e prender o ex-presidente Lula da Silva, e pronto – não interessa a Constituição. Nem a lei. Nem as súmulas do STF e do STJ que dizem que a competência para julgar os casos envolvendo a Petrobras não é do Sérgio Moro, é da Justiça Estadual.

          Não interessa nada disso, interessa apenas a condenação do Lula, mesmo que essa condenação seja feita com base em “achismo” – como dizem os promotores de justiça de São Paulo.

           E o juiz Sérgio Moro foi escolhido a dedo para realizar a tarefa de condenar (e não simplesmente julgar) o ex-presidente Lula da Silva. E por que foi ele o escolhido? Por que ele é o “eleito” para essa tarefa? Quem o escolheu? Boas perguntas. Quem respondê-las terá decifrado o quebra-cabeça da política brasileira neste momento. Terá desvendado todo o mistério que está por trás do golpe que destituiu Dilma Rousseff. Que anulou 54 milhões de votos. Que vem patrocinando, impunemente, sucessivos ataques à lei e à nossa Constituição.

             Quem souber por que é que a competência do juiz Sérgio Moro vai prevalecer sobre a competência da justiça paulista no processo do Lula; quem souber qual foi esse “conluio” a que se referem os promotores de justiça de São Paulo (a afirmação é grave!) para manter a competência com o juiz de Curitiba; quem souber por que é que estão processando o Lula com base em “achismo” no caso do triplex do Guarujá; quem souber por que o Sérgio Moro é intocável; quem souber essas coisas terá desvendado os bastidores da política nacional neste momento.

__________

http://www.avessoedireito.com

Esse post foi publicado em Avesso e marcado , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Desse jeito não dá

  1. marcão garcez disse:

    Ficar falando que as coisas tão muito erradas so serve para entrar para posteridad, em algum momento alguém vai notar que algo estava errado. Por enquanto, estamos falando (quase) sozinhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s